O que fazer em Palmas?

Data da viagem: Outubro/2020

Nosso ano de 2020 não foi muito diferente do ano de outros viajantes por aí…tivemos que cancelar nossa viagem para o Chile – que estava programada para Abril – e não tinha nenhuma previsão de melhora na situação, ou seja, não conseguiríamos fazer nenhuma outra viagem internacional. O Felipe aproveitou a oportunidade, e depois de acompanhar as notícias de reabertura dos parques nacionais, escolheu um destino brasileiro: Parque Nacional do Jalapão.

Palmas é a cidade base para aqueles que partem rumo ao Jalapão, e aproveitamos a oportunidade para conhecer alguns pontos turísticos, que eu não pude conhecer das outras duas vezes que estive na cidade a trabalho.

Se você vai para o Jalapão e não sabe como aproveitar a escala em Palmas, confere nossas dicas para conhecer alguns pontos bacanas, mas também evitar furadas…

Chegamos em Palmas às 14:10 – pegamos um taxi direto do aeroporto para nosso hotel, e aqui já vai a primeira dica: teríamos economizado mais ou menos R$ 20,00 se tivéssemos optado pelo Uber. Fizemos nosso check-in no hotel 103 Hotel & Flats e logo saímos para explorar a cidade. Fazia muito calor (uns 40 graus) e o sol estava intenso, então decidimos pular qualquer programação que demandasse muita caminhada; o mesmo taxista nos levou até a Praia da Graciosa, que fica a 4 km do hotel, por mais R$ 15,00.

Andando para o lado direito da praia nós encontramos o Flutuante Marola aberto. Tomamos uma cerveja bem gelada e aproveitamos a vista enquanto esperávamos pelo almoço.

Logo seguimos em direção à orla da praia – que na realidade não é uma praia, pois Tocantins não tem saída para o mar. Palmas foi presenteada com a formação deste lago no meio da cidade após a construção da hidrelétrica de Luiz Eduardo Magalhães. Ali é possível dar um mergulho (a água é bem quente), alugar um barco flutuante para passar o dia fazendo festa no meio do lago, ou assistir o pôr-do-sol da Ilha Canela.

O barco para a Ilha Canela sai de 20 em 20 minutos de um cantinho escondido do lado direito do cais onde ficam os flutuantes. Pagamos R$ 35,00 por pessoa – esse valor contempla ida e volta. O único quiosque da ilha estava prestes a fechar…compramos mais uma cerveja e ficamos na beira da água assistindo o sol se por. Esse passeio vale muito a pena! O barquinho retorna com o céu escurecendo, e a vista da cidade é muito bonita no retorno também.

Ao retornarmos do Jalapão nós nos hospedamos no Mac Hotel, e jantamos no Soho Food Park, um local a céu aberto que reúne algumas opções de foodtruck, com preços bacanas. No dia seguinte nosso vôo para São Paulo saía somente a tarde, então aproveitamos a manhã livre para conhecer a Praia do Prata. Optamos por ir de Uber, e apesar de a praia ser bacana, recomendamos que você vá até lá somente se estiver de carro alugado ou se fechar um valor com algum taxista ou motorista privado. Nós demoramos mais de 1 hora para conseguir voltar, pois todos os motoristas de Uber cancelam a viagem alegando que não compensa pela distância nem pela sujeira que faz no carro. Pagamos R$30,00 para ir e quase R$40,00 para voltar – o hotel nos ajudou enviando o telefone de um motorista particular.

Palmas tem várias outras atrações bacanas, então vale aproveitar a estadia na cidade para passear e conhecer a cidade.

Clique aqui para assistir o vídeo que subimos no nosso canal do Youtube 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s