A surpreendente ilha de Lombok

31/03 a 03/04/2019

Nos hospedamos em um hotel mais perto do aeroporto, para evitar problemas com o trânsito, que é bem maluco em Bali. Tomamos café-da-manhã no hotel no primeiro horário e saímos cedo pro aeroporto de GOJEK.

Na hora de passar no raio-x do aeroporto de Denpasar, eles identificaram o pau de selfie da gopro e não deixaram a gente entrar com a mala – o Felipe teve que descer e despachar a mala…estávamos de Lion Air então tivemos que pagar 91.000 rúpias pois não tínhamos direito a despachar nenhuma mala na tarifa que pagamos. Ainda assim, não recomendo fechar essas passagens com bagagem despachada para quem está viajando de mochilão…essa foi uma das únicas vezes que tivemos que despachar, sendo que já é nosso quinto ano viajando pela Ásia.

Vôo Denpasar > Lombok: 20 minutos (saída 10:30, chegada 11:00)

Por estarmos tão desacostumados a despachar mala, ficamos um tempão na esteira errada esperando a mala hahaha. Alguns carinhas ficam infiltrados nas esteiras oferecendo táxi…o valor era de 300.000 rúpias, mas por experiência própria, decidimos sair primeiro para ver se tinha outra opção. Fomos na informação do turista e o rapaz ofereceu por 250.000 rúpias (mais tarde descobriríamos que nas agências de Senggigi eles oferecem taxi para o caminho inverso por 100.000 rúpias), e também tem a opção de tentar chamar um GOJEK.

A viagem de carro do aeroporto até Senggigi é de  1 hora e meia. A estradinha é bem bacana e tranquila; chegamos pouco depois do almoço no hotel que fechamos parceria, o Living Asia Resort & Spa. Fizemos check-in e almoçamos, enquanto esperávamos liberar o quarto; ficamos a tarde toda na piscina. Os hotéis mais bacaninhas ficam um pouco longe do centrinho, não dá para ir caminhando, principalmente porque a beira da estrada é um pouco perigosa pois é bem estreita.

A idéia era ficarmos 2 noites em Kuta Lombok, porém como tivemos que mudar o roteiro por causa do drone (veja detalhes do que aconteceu clicando aqui), seguimos direto para Senggigi. Primeiro dia em Lombok, e pedimos para o hotel nos ajudar a alugar uma scooter. Trouxeram a motinho pra gente, e ficamos um tempo conversando com o rapaz que nos contou que todo ano, um brasileiro vai até a comunidade deles para ensinar capoeira.

Montamos na moto e fomos até Senggigi Beach, onde ficamos na areia conversando com alguns locais ambulantes. Eles nos contaram dos terremotos de Agosto/2018, que destruíram parte da ilha, e até hoje muita gente ainda está morando em tendas. O governo vai pagar pela reforma das casas, mas até agora não tinha liberado nenhum dinheiro para eles.

Almoçamos próximo dali, no Willy’s – a comida era bem gostosa e barata! De lá, visitamos o Pura Batu Bolong, um templo à beira-mar que não precisa pagar para visitar, mas que eles pedem uma doação. Voltamos em direção ao hotel e fomos até Ludmila Beach, que não tem nada demais e ficava pertinho do hotel. Relaxamos na piscina de novo e de noite fomos na cidade comprar souvenirs e jantar no Willy´s – descobrimos um prato típico da ilha de Lombok,  Cap Cay, que é uma delícia. Abastecemos a scooter em um posto muito peculiar haha.

No segundo dia a gente tinha planejado ir até o Monte Rinjani – não para escalá-lo (é uma subida nível muito difícil, procurem relatos na internet), e sim para chegar até as cachoeiras que ficam no pé do Monte: Sedang Gile e Tiu Kelep. Porém, as trilhas estavam interditadas, reflexo do último terremoto. Então decidimos somente aproveitar o hotel; mais tarde fomos transferidos para o outro hotel: The Chandi. Muito bacana também, na beira da praia…ficamos na piscina e passamos o final de tarde na beira-mar, trocando ideia com locais que estavam tentando vender sarongues, pulseiras e outras coisas…

Senggigi definitivamente é um lugar incrível para descansar e contemplar a paisagem beira-mar…vale muito a pena pegar um hotel bacana, e aproveitar as praias bem mais vazias do que as praias de Bali.

Na última manhã em Lombok, pesquisamos maneiras de seguir para Gili, e encontramos as seguintes possibilidades:

  1. Via agência local: carro particular + barco particular: 650k (agência); poderíamos optar por qualquer horário ao longo do dia
  2. Via agência local: carro particular + barco público: 75k (agência); o carro passaria obrigatoriamente às 08:30 no hotel
  3. Via agência local: somente o carro particular: 200k (agência); poderíamos optar por qualquer horário ao longo do dia, e comprar o ticket do barco público a parte no porto
  4. Fazer tudo por conta: GOJEK 113k + barco público 20k (por pessoa); horário flexível também

Optamos fazer por conta, por ser mais barato mas também pela flexibilidade de horário. Os ferrys saem de 1 em 1 hora, mas usualmente eles esperam completar o barco para sair (aprox 40 pessoas). Nós esperamos cerca de 10 minutos…a viagem dura menos de 30 minutos até Gili Trawangan; para as outras Gilis é mais rápido ainda porque são mais perto de Lombok.

IMG_6122
Transporte de Lombok para Gili

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s