Nusa Penida: nossa preferida :)

07 a 09/04/2019

O barco de Nusa Lembongan até Penida levou 15 minutos para percorrer a curtíssima distância entre essas duas ilhas irmãs. Mal descemos do barco e um rapaz nos abordou para oferecer moto, tour, etc…acabamos alugando a moto ali mesmo, pois facilitaria tanto na ida até o hotel, quanto na volta até o porto. Foi uma ótima decisão pois não tinha moto pra alugar perto do hotel…

GOPR3439_Moment
Barco de Lembongan para Penida

Aproveitamos um pouco a piscina do nosso hotel, o Miko Bali Bungalow, e depois do banho nós fomos até Crystal Bay. Não precisa pagar estacionamento, e é o lugar perfeito para assistir o pôr-do-sol…um dos mais bonitos que presenciamos na Indonésia. Saímos direto de lá para um restaurante próximo para jantar, e em seguida fomos dormir para enfrentar o dia seguinte.

No dia seguinte, pedimos para servir o café-da-manhã bem cedo para aproveitar o dia; pouco antes das 08:00 nós partimos…abastecemos a moto, e seguimos para a primeira parada, na Klingking Beach: o famoso T-rex. O valor da entrada é baratinho – 5.000 rúpias por pessoa; chegamos 08:30 e foi ótimo pois neste horário tinham poucas pessoas – os tours de carro privado chegam normalmente por volta das 09:00-09:30. Fiquei receosa de descer até a praia lá embaixo, e depois “morrer” para conseguir subir rs o dia estava só no começo, então tiramos algumas fotos e subimos o drone…saímos de lá às 10:00 e paramos ali do lado no Paluang Cliff, de onde dá para ver o outro lado do T-rex.

Seguimos para Tembeling Forest, uma trilha bem estruturada no meio da floresta com piscinas de água ao longo do caminho e uma praia no final. O Google é meio confuso em Penida, neste caso ele mandou a gente para um ponto onde fica um cara que cobra 100.000 rúpias para te levar para o local correto. Nós decidimos continuar procurando por conta; perguntamos em um mercadinho local e com a ajuda das instruções encontramos!

É 1km e pouco de descida assassina; ainda bem que o Felipe é experiente na direção da scooter. Para aqueles que não tem tanta experiência, ficam alguns caras de moto na entrada que podem levar e buscar também na entrada da trilha (não perguntamos o valor que eles cobram). Não é necessário pagar nada para estacionar e nem para entrar. São 2 piscinas na trilha, e no final dela tem um espaço super gostoso para ficar…aproveite as piscinas ao longo da trilha pois o mar é bem bravo, não dá pra entrar.

Paramos para almoçar em um warung, e seguimos até o Banah Cliff. De lá, procuramos pela Ceganing Waterfall, e Google novamente levou a gente para um lugar nada a ver – acabamos encontrando um templo e até aproveitamos para conhecer: Pura Gunung Cemeng. Depois de um tempinho, encontramos a Ceganing Waterfall, mas assim que iniciamos a trilha parcebemos que estávamos no lugar errado. Na realidade, estávamos procurando pela Peguyangan Waterfall, cuja descida é feita em uma escada azul; só que já era final de tarde e esse lugar era bem longe…então decidimos ir até lá no dia seguinte!

Voltamos para Klingking, e conseguimos entrar com o mesmo ticket que usamos pela manhã. Tentamos ver o pôr-do-sol, mas o tempo estava fechado, então ficamos curtindo a passagem, batendo um papo com as pessoas e tomando uma cerveja.

Jantamos no Salt n Pepper, e foi lá que finalmente vimos a lagartixa gigante que faz o barulho esquisito, que a gente escutava todas as noites (ela é muito grande!).

IMG_6778_Moment
Salt n Pepper, e a lagartixa gigante!

No nosso segundo e último dia em Penida, saímos bem cedo também, e seguimos para Angels Billabong e Broken Beach, que ficam no mesmo local – a estrada estava horrorosa, mas conseguimos chegar sem problemas. Ambas são formações rochosas desgastadas pelo mar, super diferentes. Tivemos que pagar 5.000 rúpias por pessoa para entrar.

DICA: para ver Angels Billabong assim, precisa chegar cedo – caso contrário a maré sobe, e a vista fica bem diferente da foto que tiramos.

Nós tivemos que voltar para o hotel pois ficamos com receio de passar do horário de check-out. Foi uma péssima idéia, porque tivemos que voltar todo o caminho pela estrada que estava super ruim, para depois pegar ela de novo para continuar a viagem Penida. O pior de tudo é que depois de voltarmos para a entrada, o Google levou a gente de novo para Angels Billabong…confesso que deu um desespero porque a estrada estava tão ruim, que aqueles poucos quilômetros na moto pareciam uma eternidade!

Bem, encontramos o caminho certo, que era uma estrada muito boa por sinal! Chegamos em Peguyangan…além de pagar 5.000 rúpias para entrar, é obrigatório estar de sarongue; eu usei a minha canga, mas o Felipe teve que pegar 10.000 rúpias pelo aluguel de um sarongue pra ele. Descemos a escada, cujos degraus eram um pouco estreitos em uma parte do caminho…não demorou muito para chegarmos até o templo que fica na base da escada, fizemos uns minutinhos e partimos para a pior parte: a subida!

Foi o tempo de voltar de moto, pegar as malas no hotel e seguir para o Porto. Deixamos a moto perto de onde desembarcamos quando viemos de Lembongan, e o rapaz que alugou a moto pra gente (nome dele é Noman) nos levou de moto até o lugar de onde saem os barcos, que fica a uns 5 minutos de caminhada dali – ele nem cobrou por isso!

Saímos no barco das 15:00 com destino a Sanur – a viagem demorou 30-40 minutos em um barco que balançada bastante.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s