Bali, e suas mil faces

27 a 31/03/2019

Nosso vôo que saiu de Makassar atrasou 1 hora, então chegamos no aeroporto de Denpasar por volta das 19 horas.

Em Bali é muito comum você ler relatos de pessoas que contratam motorista para rodar pela ilha. Pegamos a indicação de um motorista com uma amiga que esteve em Bali ano passado, para nos buscar no aeroporto e levar no hotel. No fim das contas saiu o dobro de um Grab ou Gojek, então a nossa sugestão é seguir utilizando os aplicativos. Contratar motorista vale mais a pena no caso de passeios que duram o dia todo, e ainda assim temos ressalvas…não achamos que valeu tanto a pena assim.

Nosso hotel era uma guesthouse…razoável, mas o quarto não era muito bom não. Localizado em Legion, optamos por ficar neste lugar pois era muito próximo de onde deixaríamos o drone para consertar. Ficava mais ou menos próximo da bagunça, mas as proximidades eram bem tranquilas…até demais. Demoramos para achar um lugar para jantar, e acabamos comendo em uma barraquinha na rua mesmo, bem simples…

No nosso primeiro dia em Bali, logo após o café-da-manhã, a primeira coisa que fizemos foi deixar o drone para conserto. Caminhamos um pouco nas proximidades para alugar uma moto; maior furada…depois que voltamos, descobrimos que poderíamos alugar direto no hotel, e mais barato (o aluguel custa em média 60.000 rúpias). A partir daí começamos a pingar nas praias:

  1. Legion beach: mais próxima do nosso hotel, é possível entrar no mar, mas por ser mais agitada tem bastante ambulante – entre uma cerveja e outra, prepare-se para ser abordado mais de uma vez. Aqui ficamos um pouco sentados bebendo cerveja e curtindo um sol.
  2. Double Six Beach: resolvemos almoçar na rua que dá acesso à praia; esta é a praia de Seminyak, que não é muito diferente de Legion Beach e também é possível entrar no mar. Não ficamos muito tempo por ali, mas na rua da praia existem vários hotéis com piscina de frente pro mar e som alto – um clima bem gringo.
  3. Canggu Beach: rodamos 10km mais ao norte e paramos nesta praia. A faixa de areia é bem menor, praia de tombo, bastante gente e um mar bem agitado – tinha gente entrando no mar, mas com certeza é uma praia mais adequada para surfar. Esta região tem um clima hipster, habitado por mochileiros, surfistas e nômades digitais.

Mesmo distâncias pequenas tomam um pouco de tempo por causa do trânsito. Saímos de Canggu Beach e rodamos mais 12km até o Tanah Lot – nosso primeiro templo! A estradinha é muito bonita; chegamos lá no final da tarde, e a paisagem é linda pois o templo foi basicamente construído em cima de pedras no meio do mar. Estava bem cheio, então tratamos de subir logo até o ponto mais alto para garantir uma mesinha na beira do paredão e assistir o pôr-do-sol – detalhe: para sentar nas mesas, você precisa consumir algo nos restaurantes que ficam ali, então tomamos um coco geladinho. Foi um dos pores-do-sol mais incríveis que a gente já viu!

Voltamos já estava um pouco escuro, mas o trânsito impressionou bastante. Estávamos de moto, então era fácil desviar…mas ficamos imaginando as pessoas dentro dos carros. Facilmente ficaram parados por 3 ou 4 horas.

No segundo dia nessa ilha incrível, devolvemos a moto e pegamos uma nova moto no hotel (bem mais barato). Eles ligaram em uma empresa, que veio deixar a moto com dois capacetes, e buscaria tudo no dia seguinte. Uma dica para aqueles que levam o mínimo de roupa possível, como nós: na rua da nossa guesthouse, tinha uma lavanderia; e pasmem: lavamos nossas roupas por míseros R$ 5,00!!! Eles pesam, e cobram por quilo – devolvem a roupa passada em 24 horas. Existem lavanderias espalhadas por toda ilha, pratiquem o desapego e aproveitem essa facilidade.

Depois de trocarmos um pouco de dólar em uma casa de câmbio, buscamos nosso drone. Testamos, e deu tudo certo: funcionou!!! Então seguimos para o sul da ilha para continuar nosso tour nas praias…

  1. Jimbaran Beach: descemos 10km a sul; a praia não é tão bonita, e nitidamente eles começam a trabalhar bem mais tarde…muitos dos quiosques ainda estavam abrindo no horário que chegamos, por volta das 10:00. As pessoas têm o costume de ir para as praias mais próximo do meio-dia.
  2. Balangan Beach: foram 22km em uma estradinha pela montanha. Descemos na praia, e ela é bem pequenininha, com beach clubs à beira-mar. Não ficamos muito tempo, e decidimos almoçar ali perto na estrada.
  3. Dreamland Beach: rodamos mais 4km e chegamos nessa praia que é cheia de guarda-sol da Air Asia. Aqui subimos o drone, e ficamos um tempo maior sentados tomando água de coco.
  4. Uluwatu Temple: a gente queria ir na praia, mas já estava um pouco tarde, então seguimos direto para o templo para garantir um bom lugar para assistir o Show de Fogo. O templo é bem bonito, também na beira de um paredão, e o show você paga a parte do ingresso normal. Foi divertido, e quando saímos de lá já era noite.

Perdemos a moto no estacionamento haha no meio daquele mar de motos, demoramos uns 10 minutos para encontrar – fica a dica para se localizar bem antes de virar as costas e entrar no templo. O retorno foi cansativo: 25km e não tinha mais posição confortável na moto. Chegamos muito cansados, então nem saímos para jantar neste dia.

No terceiro dia, estávamos cansados de rodar de moto; então decidimos fazer um tour de carro em Ubud – clique aqui para conferir como foi este passeio. No dia seguinte partimos para a próxima parada: Senggigi, em Lombok!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s