Roteiro Filipinas

Esse foi um dos roteiros mais trabalhosos que fizemos – para vocês terem uma idéia, trabalhamos com 4 versões e por um motivo muito simples: conseguir combinar melhor timing, custo e escala de vôos e navios.

Aqui neste post você pode consultar todos os hotéis que ficamos, passeios que fizemos e traslados que compramos para nos deslocar de um lugar para o outro.

Para ajudar, estas são as primeiras definições e pontos importantes para esta viagem:

  1. Programe sua viagem pensando no clima! A época de monções nas Filipinas vai de Junho a Novembro, meses onde o risco de pegar dias chuvosos é bem alto – Dezembro e Janeiro também são meses de risco. Os melhores meses para fazer a sua viagem vão de Fevereiro a meados de Maio.
  2. Vacina da febre amarela. O certificado internacional é obrigatório para brasileiros; apesar disso entregamos nosso certificado na imigração em Boracay (nosso primeiro destino nas Filipinas) e ele foi totalmente ignorado – o agente recolheu o passaporte, e devolveu no mesmo momento o certificado (vai entender?!). Como já mencionamos nas dicas para a Tailândia, esta vacina pode ser tomada em qualquer posto público de saúde, e com o comprovante você retira o certificado no Poupa-tempo e alguns aeroportos.
  3. Quantas ilhas eu consigo visitar? As Filipinas totalizam mais de 7.000 ilhas e é impossível visitar todas no período de férias – isso só é possível se você tiver mais do que 30 dias para explorar com qualidade. As ilhas mais conhecidas são: Cebu, Bohol e Palawan. Existem muitos destinos paradisíacos na região de Mindanao, porém nós lemos alguns blogs que recomendam cautela ao visitar que possui frequentes conflitos e guerra civil.
  4. Tufão e Terremoto fazem parte da rotina Filipina. Durante nossa viagem alguns amigos e familiares nos contataram preocupados com uma notícia de terremoto na região. É bem comum este tipo de evento e sempre é noticiado, mas não presenciamos nada nos locais por onde passamos.
  5. Drogas. As Filipinas possuem tolerância zero quando o assunto é drogas ilícitas, sujeito a pena de morte. Fique atento também com sua bagagem e pertences, pois não vale o risco.
  6. Idioma e Religião. Apesar da proximidade com a Tailândia e demais países da Ásia, Filipinas é um país majoritariamente católico – fruto da colonização espanhola, você vai encontrar muitos nomes de ruas, cidades e estabelecimentos no idioma espanhol; somente 5% da população é muçulmana. O idioma oficial é o filipino, porém o inglês também é língua oficial do país – você vai conseguir se comunicar por lá facilmente desta maneira.

Este é o mapa do nosso roteiro; neste mapa, estão as ilhas e cidades que visitamos.

Do roteiro inicial que montamos, a única mudança foi que deixamos de ir até Dumaguete, pois ficava muito fora do caminho, e optamos por seguir para Oslob – de onde seria muito mais fácil chegar nos locais que queríamos visitar.

roteiro

E estes são os hotéis que nos hospedamos ao longo da viagem – fizemos todos os comentários no Tripadvisor, Booking, Hoteis.com e Expedia, mas resumidamente segue aqui:

MALÁSIA

Orange Pekoe Guesthouse

20170401_0001
Suíte do hostel

Razoável. Como nosso vôo atrasou muito, chegamos no hotel era mais de 1 da manhã. A região onde ele fica é bem feia, cheia de bares e muito barulho. Fomos bem recebidos e levados no nosso quarto, que era bem pequeno…por esse preço você encontra poucos lugares no centro da cidade. O que achamos ruim mesmo é o banheiro pois o chuveiro fica em cima da privada e molha tudo…mas em geral foram boas 3hs de sono e um banho revigorante. O wi-fi funciona bem, tem ar condicionado e tínhamos uma café-da-manhã bem simples incluído (frutas, cereais, leite e café).

BORACAY

Greenyard Inn

Super Recomendamos. Apesar de o hotel ser um pouco escondido, tem várias placas sinalizando a direção certa. A parte externa tem um jardim lindo, ficamos no quarto 2 no térreo e a decoração é super bonita. A cama é bem confortável e grande, o ar condicionado é ótimo e o Wi-Fi oscila mas é bom. O banheiro é super espaçoso e novo, e a água esquenta com facilidade. O café da manhã é servido em uma mesa na frente do quarto e é uma delicia; são 5 opções. Fica super perto da praia mas bem distante do agito – não tem barulho nenhum mas é uma boa caminhada até o centro. Adoramos nossa estadia!

Villa Sunset Boracay

Super Recomendamos. A rua sai direto na praia, mas foi bem difícil de achar o hotel. Muita gente usa essa rua como banheiro, então o cheiro de xixi é bem forte. O hotel é lindo e de muito bom gosto, desde o jardim e a piscina, até os quartos. O proprietário conversou um pouco com a gente e além dele, todo o staff foi super receptivo. A cama é gostosa e o Wi-Fi é ótimo, o banheiro e o quarto são bem espaçosos. A única coisa que foi relativamente ruim, era o ar condicionado – muito barulhento (fora do normal, muito velho).

CORON

Coron Bacuang Mansion

Super Recomendamos. Tivemos um “episódio” na nossa primeira noite, e sem muito desgaste a equipe do hotel conseguiu nos mudar de quarto com um upgrade. Tivemos problema com um tour também e eles nos ajudaram a solucionar. O ambiente do hotel é ótimo, fica a uns 500 metros do centro, perto e longe o suficiente do barulho. A piscina é sensacional e do lado tem o melhor restaurante (na minha opinião) de Coron: o Kawayanan Grill. A diária é meio alta mas no final acho que o custo-benefício vale a pena!

EL NIDO

Ricgem Place

Razoável. Visitamos El Nido na semana santa, e a cidade estava lotada de gente, ou seja, sem muitas opções de lugares para nos hospedar. Ficamos em um quarto no último andar, então as escadas deram uma canseira; o quarto era super pequeno, o ar condicionado bem barulhento e o café-da-manhã não estava incluído, mas valeu a pena porque pagamos super barato. A grande vantagem porém é que foi o lugar onde encontramos os tours mais baratos – em média estavam cobrando 1.000 pesos, enquanto no hotel pagamos 800 pesos (o barco é deles, por isso sai mais em conta).

Spin Designer Hostel

Super Recomendamos. Que hostel sensacional! O Spin é super diferenciado. A decoração é super moderna, com um ambiente comum super descontraído e o quarto privativo que ficamos era lindo. Estava bem limpinho, e a cama era bem confortável. Ele fica na rodovia, mas a uma caminhada de 10-15 minutos do centro – bem silencioso mas super perto do agito. O Wi-Fi funciona só na área comum, a equipe é bem atenciosa e simpática e nos receberam super bem. O café da manhã era incluso na diária e é muito bom, eles fazem omelete na hora. É legal porque pra sair de El Nido nenhuma van busca dentro da cidade mas como o Spin fica na rodovia, não precisa pagar um triciclo pra ir até a rodoviária.

PUERTO PRINCESA

Prima Residence

Não Recomendamos. A idéia era só ter um lugar para passar a noite, e depois seguir viagem; então optamos por esta pousada bem baratinha. Tinha wi-fi e o café-da-manhã incluso era gostoso, mas o problema foi quando entramos no quarto: lençóis manchados, ambiente bem apertado e o lixo do banheiro do hóspede anterior ainda estava lá. Além disso ficava bem longe do centro, então não tínhamos muita opção de lugares para comer a noite.

MOALBOAL
Marcosas Cottage Resort

Super Recomendamos. O hotel é lindo, a piscina é enorme e os quartos são chalés bem espaçosos. Diz que é de frente pra praia, mas não tem praia por ali, e a praia mais próxima de Panagsama não é lá aquelas coisas…fica meio longe de tudo, o que dificulta a noite sair pra comer, mas jantamos no hotel é a comida é boa demais! O Wi-Fi só funciona no restaurante e bem mal, mas quem precisa de internet quando está no paraíso? A Kawasan Falls fica a 20 km do hotel, alugamos uma moto pra chegar lá.

OSLOB

Lantawan Resort

Recomendamos. Amamos nossa estadia no hotel. Fomos muito bem recebidos e inclusive no dia de seguir para Bohol eles deram todo suporte pra gente conseguir pegar o barco que nem tínhamos fechado com eles. O quarto é bem gostoso, banheiro também é ótimo, tudo muito limpo. Eles fornecem um aparelho de 3G pro quarto mas a internet é péssima; eles têm motos pra alugar e também fazem serviço de guia se precisar. Fica a 5km do Whale shark watching e a 4 km do centro. O único ponto ruim é que como o hotel fica na beira da rodovia (como a maioria em Oslob) de madrugada tem muito barulho, mas mesmo assim recomendamos o hotel!

BOHOL

Alona Royal Palm Resort

Recomendamos. Gostamos muito deste hotel. Ele fica a uns 700m da rua da praia (15 minutos de caminhada) portanto longe do barulho mas bem acessível. Tem estacionamento grande, Wi-Fi e ar condicionado funcionam muito bem, o quarto é espaçoso e limpo, e a cama super confortável. Decoração moderna e tudo muito novo.
Único ponto ruim é que pelo preço achei que deveríamos ter café da manhã incluso, mas não tinha. O dono tem 2 cachorros super tranquilos que vivem lá, e a convivência é muito legal.

CINGAPURA

Wink Hostel

Não Recomendamos. Fomos bem recepcionados, porém o rapaz da noite foi um pouco mal educado quando pedimos o adaptador de tomada. Além disso o banheiro estava meio sujo, e o pior: saímos de lá cheios de picadas porque tinha bed bugs na nossa cama. Única coisa boa é a localização pois fica a uns 300 metros do metro e tem muito restaurante barato perto.

BANGKOK

Lebua at state Tower

Recomendamos. Ele é bem caro para o padrão da Tailândia, mas o custo-benefício se paga! Recebemos um upgrade (que quase todo mundo recebe – não sei como rs) e ficamos em um apartamento completíssimo, com 2 suítes, uma sala, banheira, geladeira, fogão (cozinha completa), etc. Como era o final de viagem, resolvemos nos dar o luxo de ficar em um lugar mais requintado. O café-da-manhã é bizarro de completo; tem todos os tipos de cozinha e você pode comer até morrer…literalmente!

Bed by BST – Não Recomendamos. Que furada! Ficamos nesse hotel algumas horas até o momento de ir para o aeroporto, mas ele fica super longe de tudo apesar de estar próximo ao metro (BST). Ninguém fala inglês nem se esforça para te entender e eles têm um procedimento de depósito caução que nem eles mesmos entendem. A vantagem é que o bairro é fora da rota de turismo então tem algumas feiras locais bem legais de conhecer.

Estes são os traslados aéreos e marítimos que pegamos para fazer os percursos internos:

  • Kuala Lumpur (KUL) > Kalibo (KLO) – Aéreo: Air Asia USD 135,79 (2 passagens, já com taxa de IOF do cartão)
  • Caticlan (MPH) > Coron (USU) – Aéreo: Air Juan USD 172,90 (2 passagens, já com taxa de IOF do cartão)
  • Coron > Puerto Princesa – Marítimo: 2GoTravel USD 68,29 (2 passagens, já com taxa de IOF do cartão)
  • Puerto Princesa (PPS) > Cebu (CEB) – Aéreo: Cebu Pacific USD 50,69 (2 passagens, já com taxa de IOF do cartão)
  • Oslob > Bohol – Marítimo: local USD 32,36 (2 passagens, já com taxa de IOF do cartão)
  • Bohol > Cebu – Marítimo: Weesam Express USD 18,20 (2 passagens, já com taxa de IOF do cartão)
  • Cebu (CEB) > Cingapura (SIN) – Aéreo: Air Asia USD 118,48 (2 passagens, já com taxa de IOF do cartão)
  • Cingapura (SIN) > Bangcoc (DMK) – Aéreo: Air Asia USD 125,59 (2 passagens, já com taxa de IOF do cartão)

Fizemos todas as nossas reservas pelo Booking e Agoda,e os vôos compramos direto no site das Cias. Air Asia, Cebu Pacific e Air Juan – muito fácil de comprar e todos aceitam cartão de crédito.

Precisa de uma ajuda com seu roteiro? Manda uma mensagem pra gente 🙂

Anúncios

4 comentários

  1. Ola Paula tudo bem ?

    é possível combinar uma viagem de 30 dias para Indonesia, Thailandia e Filipinas?
    Ou seria melhor uma semana em cada em épocas diferentes.

    Estou na Austrália estudando, então tenho que ver com a escola em relação a attendence.

    Obrigada

    Paola

    Curtir

    • Oi Paola,
      Obrigada pela mensagem!

      Vamos lá…acredito que fazendo 30 dias seguidos você vai economizar mais nas passagens, mas de qualquer forma minha recomendação é simular no skyscanner se realmente tem diferença de valor se você optar por fazer separado. Algo muito importante também é considerar a época de monções, que varia de país para país, e inclusive de região para região (dentro do mesmo país) – assim você reduz o risco de tufões/chuvas estragarem sua viagem.
      Eu não faria estes 3 países em 30 dias, pois fiz Tailândia (2015) em 20 dias e Filipinas (2017) em 20 dias e voltei um pouco triste pois queria ter ficado mais! Mas, como a vida é feita de escolhas, se você abrir mão de alguns lugares, minha sugestão seria:
      Tailândia 10 dias + Indonésia 7 dias + Filipinas 13 dias.
      Vai ficar meio corrido, e você precisa ter bem definido na cabeça os lugares que você não abre mão de conhecer.
      Avise se tiver mais alguma dúvida 🙂

      Curtir

  2. Oi Paula, tudo bem?

    Queria saber se pegou ferry local (catamaran) de oslob para bohol, poderia detalhar um pouco mais? quanto tempo demorou, para parte da ilha voce foi, etc..? Eu queria ir até a ilha isolada de panglao

    Muito Obrigado

    Curtido por 1 pessoa

    • Oi Eder, tudo certo! E você?

      Obrigada pela mensagem.
      Maiores detalhes deste trecho que você mencionou estão no link abaixo, mas já adiantando, nós compramos a passagem para o ferry 1 ou 2 dias antes…a viagem de Oslob para Bohol demorou entre 1:30 e 2:00 horas, e descemos entre Danao e Alona beach – tivemos que pegar um triciclo até a White beach, onde estava localizado o nosso hotel (era bem perto, coisa de 10 minutos de triciclo).

      https://fechandooroteiro.com/2017/11/24/explorando-cebu/

      Fique a vontade de perguntar se tiver mais dúvidas!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s