Veneza em um dia

Do ferry já avistávamos Veneza. Finalmente! Fazia um calor de uns 40 graus, e mesmo assim apertei o passo porque queria devorar essa cidade.

DSCF1180
Veneza, vista do ferry

Infelizmente a Ponte dos Suspiros estava em manutenção. Mas deu pra ver um pouquinho dela! Ela é a conexão entre a nova prisão e as salas de interrogatório do Palácio Ducal. Recebeu este nome pois diziam que quando os prisioneiros atravessavam por ela suspiravam, já que sabiam que era a última vez que veriam o mundo exterior. Na época, se você era condenado no Palácio de Doges, não saía de lá com vida.

Virando à direita depois que acaba o Palácio Ducal você chega na Praça de São Marcos. A praça é rodeada (além do Palácio Ducal) pela Basílica de São Marcos, o Campanário da Basílica, a Torre do Relógio de São Marcos, a Antiga e a Nova Procuradoria, a Ala Napoleônica, o Campanário de São Marcos a Logetta e a Biblioteca Marciana.

A Torre do Relógio é linda! Nela habita um relógio de mármore, esmalte e ouro, e é rico em detalhes. Além de ser um relógio de 24hs, ele indica as fases da lua, estações do ano e o ponteiro principal indica a posição do sol no zodíaco (os 2 símbolos estão presentes em ouro). Acima do relógio estão as estátuas de um senhor de barba e um jovem, que representam a passagem do tempo. O senhor de barba bate o sino instantes antes da hora completa, e o jovem toca instantes depois.

Depois de andar bastante na Praça de São Marcos, paramos para tomar um gelato. Era enorme, e sinceramente, o sorvete na Itália é divino. Depois nos perdemos um pouco nas ruelas de Veneza. É bem diferente, muito compacto mas bem legal de conhecer.

Ainda não tínhamos decidido se faríamos o passeio de gôndola. E aí vem a velha história: “você vai até Veneza e não vai andar de gôndola?”. A dica é negociar com os gondoleiros, mas nós nunca fomos muito bons nessa arte. Lembro que pagamos caro, mas valeu a pena. Não pelo romantismo, mas foi bem legal navegar pelas “ruas” de Veneza. O gondoleiro era bem gente boa; perguntei se a água ali era muito suja e ele me explicou que toda a movimentação da cidade acontece na água, e consequentemente o esgoto e o lixo também passam por lá – nada de colocar a mão na água, pessoal!

Passamos pelo Grande Canal, que é uma bagunça. Tem barco pra todo lado, parece o trânsito de motos no Vietnã.  No caminho passamos pela Basílica de Santa Maria Gloriosa dei Frari.

Logo estávamos de volta, e sentamos com alguns brasileiros que conhecemos na viagem para beber cerveja e comer pizza.

Um dia é suficiente para conhecer os principais pontos de Veneza, mas definitivamente cabe dedicar mais tempo do roteiro para explorar essa cidade tão curiosa.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s